Só no campo podemos resistir a agenda que transforma por completo os humanos em produtos para as corporações

Sinto muito, mas se vocês ainda pensam que podem viver nas cidades durante a próxima década, ainda mais sem ser subordinado pelas Cidades Inteligentes, Internet das Coisas, Internet dos Humanos, a Quarta Revolução Industrial e a tecnocracia, você ainda não entendeu verdadeiramente as agendas que enfrentamos.

Nota: Tradução livre e adaptação por Eurico Vianna, PhD. Artigo original por Derrick Broze no canal do Telegram Notícias Diárias por Derrick Broze. Alterações e/ou contextualizações entre [].

O plano para a década de 2020-2030 é conhecido pela ONU, o Fórum Econômico Mundial, suas organizações parceiras [maioria corporações] e governos [já aparelhados] como “A Década da Transformação”. Eles usaram o COVID-19 como uma desculpa para acelerar sua pressão na direção de um controle tecnocrático totalitário, de cima para baixo e isso é só o começo. 

As cidades vão (e em alguns casos já são) ser lugares sem nenhuma privacidade, sem individualidade e onde os escores de crédito social determinarão seu nível de acesso aos serviços sociais, “privilégios” como viagens e as poucas alternativas fora do enquadramento das Cidades Inteligentes. 

Protestos, marchas, manifestações, ações judiciais e comboios pela liberdade tem o potencial de inspirar, oferecer esperança e estabelecer relacionamentos comunais mais fortes, mas não vão parar essa agenda massiva. 

Segundo, quando falo sobre Saia e Construa, escolha não participar, etc. isso não sobre “ir viver no mato” ou algo parecido. Claro, alguns de nós estão procurando terra para estabelecer comunidades intencionais como modelo para outros, mas muitos estão comprando terra para que possam ter liberdade para produzir o próprio alimento, armazenar recursos, ter privacidade, adquirir outras habilidades, etc.

Entretanto, embora você fique na zona peri-urbana, perto das cidades ou no campo, o objetivo do Saia e Construa é optar por sair dos sistemas que serão usados para te escravizar. Estes são os sistemas que nós já vemos sendo usados contra nós durante a era COVID1984.

Eles incluem:

  • contas bancárias
  • seguridade social e estado do bem estar social
  • empregos ‘tradicionais’ (ter um patrão)
  • sistema público escolar 
  • a indústria do entretenimento (quadras esportivas, etc.)

Agora, muitos de vocês viram os exemplos nos últimos 2 anos, mesmo assim vocês ainda parecem determinados a se apegar ao seu estilo de vida pregresso [à pandemia]. Talvez o COVID1984 não tenha afetado vocês verdadeiramente. Mas vocês estão apenas há dois anos rumo a essa década de transformação. Nós não vimos nada ainda.

Não estou aqui para dizer para vocês qual o tipo de estilo de vida vocês devem viver, mas estou aqui para avisá-los que se continuarem a fazer de conta que essas [transformações que centralizam poder, renda e território] não estão acontecendo e presumindo que podem viver suas velhas vidas normais sem ser afetados, vocês terão tempos difíceis enquanto essa agenda [do FEM] avança.

A resposta, quer você viva na cidade, na zona peri-urbana ou no campo, é cortar quantos laços sejam possíveis com esse sistema podre. Quanto menos dependente você estiver deste sistema, melhor você e sua família estarão.

Se você escolher ficar nas cidades e no “mundo convencional”, se prepare para o aperto nos próximos anos.